Pousada 4 Estações - o segundo dia de nossa pescaria com os gigantes mineiros


Local: Pesqueiro Hotel Fazenda Quatro Estações – Vilarejo de Urucuia – MG

Data: Março/2012

Olá amigos leitores de nosso site,

Nesse relato vamos descrever o segundo dia da pescaria realizada no Hotel Fazenda Quatro Estações, localizado no Vilarejo de Urucuia que fica aproximadamente 67 km da cidade de Belo Horizonte.

Essa pescaria ocorreu no inicio do mês de março de 2012 durante a semana batizada por nossa equipe como Expedição Mineira e contou com a minha participação (Silvio Leme) e do Marcio David (os 2 aventureiros da equipe na Expedição Mineira) e nosso objetivo estava na captura dos gigantes redondos que apelidamos de “monstros mineiros”.

Nesse segundo dia de pescaria combinamos de acordar bem cedo para inicio dos “trabalhos” e por volta das 05h50min h, estávamos no lago “U” e nos instalamos na ponta da Ilha/curva do “U” que permite a pescaria de ambos os lados do lago e não demorou muito para os peixes começarem a subir na ceva com voracidade e acreditem na primeira hora de pescaria conseguimos capturar incríveis 11 (onze) Tambacus utilizando bóia foguete iscada com Labina e 50 cm de profundidade e muitos deles de bom tamanho e que seguiram para as fotos com a equipe Fishingtur.

Observem em algumas fotos que estávamos utilizando luvas. Os peixes maiores nem sempre pegamos no colo e para evitar acidentes que acabam cortando e furando nossos dedos optamos por utilizar esse recurso para nossa segurança e também dos peixes. Durante o inicio da manhã os peixes continuaram bem ativos e a todo o momento tínhamos peixes de bom porte fisgados e foi necessário recolher um dos equipamentos e pescar apenas com 1 (um).

No Hotel Fazenda Quatro Estações, apesar de ser morada de gigantes redondos, não são necessários equipamentos reforçados e a equipe Fishingtur, utilizou varas de 20/30 libras de tamanho 1,80 m até 2,10, com carretilhas de perfil baixo comportando 100 m de linha monofilamento de bitola 0.37/0.40 mm e as tradicionais e consagradas Bóias Barão de 55/65 gramas para os arremessos. As iscas mais utilizadas foram os EVA’s e miçangas com anzol Wide Gap 2/0 (maior produtividade na côr café com leite) o “Beijinho” e a ração Labina na superficie e ou na meia-agua, com anzol 2/0 e 4/0 haste longa. Durante um rápido (queríamos pescar) café da manhã comentei com o Marcio da grande quantidade de peixes que estávamos conseguindo capturar. Praticamente a cada arremesso fisgava-se um Tambacu e fizemos muitos dublês e a dificuldade de ajudarmos um ao outro para retirada do peixe com segurança da água era grande e para a sessão de fotos se complicava ainda mais, entretanto, sempre conseguíamos dar um jeito para manter a saúde dos peixes e qualidade das fotos.

A manhã de pescaria no Quatro Estações estava de respeito e muitos “monstros mineiros” continuaram sendo capturados por nossa equipe.

Identificamos que os grandes que habitam o lago estavam bem manhosos e o Marcio fez uma alteração na tentativa de capturar um exemplar maior e retirou o anzol 4/0 haste longa e colocou um 2/0 com 2 (duas) ração Labina, o que fez a isca ficar na superfície e minutos depois do arremesso a bóia do Marcio tomba lentamente e de imediato ele confirma a fisgada de um bom peixe que demorou muito a se entregar, mas quando chegou à margem foi possível observarmos que se tratava de um dos grandes exemplares do Quatro Estações. Belo Peixe!!!!

Após esse belo Tambacu insistimos, mas não conseguimos mais capturas com a Labina flutuando e voltamos para a técnica do chicote com 50 cm que era certeza de capturas constantes.

Por volta das 12h30min h., observamos um grande rebojo saindo do canto do lago e o Marcio avisa: Os grandes devem estar encostados lá e imediatamente eu confirmei com um sinal de positivo e rapidamente o Marcio pega o balde de ceva e fomos bem devagar cevar o local (com as mãos) e em seguida observamos um cardume de grandes Tambacus se alimentando. Fizemos alguns arremessos com Labina (50 cm de profundidade) e continuamos cevando sem muito alarde, mas as bóias não afundavam e eu disse ao Marcio: Eles vão pegar nos EVA’s e como tínhamos alguns prontos montei rapidamente um Café com Leite e arremessei no meio da “confusão”. Quase que instantaneamente observo somente os EVA’s se movimentarem e desaparecerem na água e antes mesmo da bóia guia afundar fisgada confirmada e o “contra-ataque” imediato com o peixe logo em seguida parando no meio do lago em clara referência de peixe de respeito. Confesso que fiquei apreensivo e fui trabalhando o peixe na “ponta dos dedos” e ele em determinado momento, vagarosamente veio até a margem e foi possível vê-lo nadando com uma lateral enorme e ratificamos que de fato tínhamos um Baguá legitimo na ponta da linha. Após avistar o peixe sai da apreensão para o desespero e o peixe “brigou” demais com muitas corridas demorando a se entregar. O Marcio parou de pescar e ficou aguardando com o passaguá o peixe encostar, mas isso somente ocorreu após 15/20 minutos e quando finalmente se entregou tivemos dificuldades de colocá-lo com segurança no passaguá devido ao seu tamanho que vocês poderão observar nas fotos abaixo. Mais um Tambacu de respeito do Quatro Estações!!!!

Depois deste peixe a alegria e a adrenalina literalmente tomou conta de nós e em silêncio continuamos cevando e conseguíamos ver os grandes Tambacus comendo e o Marcio fez boas capturas e em sequencia.

A parte da manhã teve uma pescaria digna de nota 10 e como estávamos bem cansados e o sol estava muito quente decidimos seguir para o almoço servido no Quatro Estações da tradicional comida mineira.

Um breve e merecido descanso, energia reposta, voltamos a nossa pescaria e claro, mais uma ceva na morada dos gigantes, que em principio identificamos não estarem mais no local e quando nos preparávamos para voltar para o nosso “QG”, observo os EVA’s se movimentarem lentamente e não pensei, apenas fisguei e novamente “pesou” e o peixe ficou estacionado no meio do lago e identificamos ser um bom peixe, mas que não “brigou” muito e em apenas 5 (cinco) minutos estava em meus braços para as fotos. Mais um bonito peixe!

Acreditamos que esse peixe espantou os demais, visto que, as capturas nesse local diminuíram e apesar de estarmos na sombra resolvemos voltar para o nosso “QG” e, surpresa!!!! Os peixes continuavam atacando ferozmente a Labina com chicote de 50 cm de profundidade e desta vez um amigo pescador da cidade de Belo Horizonte registra o nosso dublê e observem na última foto o pequeno Tambacu capturado pelo Marcio que mereceu “colinho” ao estilo do amigo Rogério.

Apesar do sol escaldante continuamos na “batalha” e bons peixes foram capturados e abaixo na última foto o nosso amigo de BH com um dos peixes que também capturou durante este dia.

Mesmo com a pescaria bem produtiva procurávamos fazer a “leitura do lago” em busca dos grandes Tambacus e às vezes arremessávamos em locais diferentes e o Marcio em um desses arremessos deixa uma bóia com Labina bem encostado em uma margem do lago e passado alguns minutos o secretário fisga o peixe e quase que temos um PT (perda total), mas o Marcio com dificuldades tira a vara do secretario e inicia uma grande “briga” e minutos depois identificamos mais um belo Tambacu para a equipe Fishingtur. Fenomenal!!!!

Consideramos que as observações na pescaria maximizam as chances de grandes capturas e após a soltura deste belo exemplar do Marcio continuamos durante a tarde a nossa pescaria com muitos outros peixes sendo capturados.

O Marcio em determinado momento ficou com os 2 (dois) equipamentos montados e conseguiu fazer um dublê. Posteriormente insistiu em tirar uma foto com os 2 (dois) peixes. Bom, depois de muitas risadas e alguns “Jab’s” conseguimos, ou melhor, ele conseguiu a foto e ficou muito legal!!!

Os peixes continuavam subindo bem na ceva e minha bóia que estava com chicote de 50 cm e com Labina como isca, simplesmente “sumiu” e rapidamente confirmo a fisgada com o peixe tomando linha e pouco tempo depois mais um de respeito vem para os nossos braços. Que pescaria é essa amigos!?!?!

Com o final da tarde e inicio da noite os peixes ficaram ainda mais ativos e as fisgadas e capturas não paravam.

Amigos, diante de uma linda Lua e um cansaço extremo, capturamos mais 3 (três) belos exemplares e por volta das 19:00 h, decidimos fechar esse segundo dia de pescaria no Quatro Estações. Certamente, podemos dizer que poucas vezes encontramos um local com grande quantidade e qualidade de peixes e acreditamos que conseguimos estar na semana certa e no lugar certo!!!! Aguardem que vêm muitas surpresas e muitos peixes na parte 3 da matéria que será publicada em breve no site.

Gostaria de deixar um grande abraço a todos os amigos pescadores e leitores do site Fishingtur, aos funcionários do Hotel Fazenda Quatro Estações e um especial ao Geraldo e Luciana pela simpatia e atendimento fornecido para nossa equipe e pela confiança depositada em nosso trabalho.

Silvio Leme – Equipe Fishingtur

Fotos: Marcio David e Silvio Leme Texto: Silvio Leme e Marcio David Edição: Marcio David

#pousada4estacoes #4estações #pesqueiro #tambacu #tambacugigante #cevadeira #pescariacomlabina #pescariacompao #pousadacompescaria #pescador

3 visualizações
Carretilhas de Pesca Penn
Contato Fishingtur

Parceiros

bruta.png
Lumis.png
Enz Miçangas e evas
LogoSimon.png
girls fishing lovers.png
Logo.png
universo da pesca.png
Oculos Matuto.png
ESTILO GOIANO.png
go pro 1.png
massa paturi.png
boias de pesca, boia cevadira, boia torpedo
Logo Completo Colorido recorte.png

O maior portal de Pesca e Turismo do Brasil

Logo Step quadrado Tranparencia.png

Step'lc Confecções

Rua Nova Cidade - Vila Olímpia - São Paulo - SP

273.441.558-50

fishingturpesca@gmail.com

Prazo de Entrega da Loja de 10 a 14 dias úteis

Fishingtur Pesca e Turismo 2007