• Marcio David

Pesqueiro Vale do Peixe - Conheça este belo pesqueiro


Local: Pesqueiro Vale do Peixe - Juquitiba – SP Data: 07 e 08 de março de 2009

Olá amigos

Nossa equipe ficou hospedada no Pesqueiro Vale do Peixe de sábado para domingo. Chegamos ao pesqueiro no sábado por volta das 17h e pescamos até domingo a tarde.

Para chegar ao pesqueiro, siga pela Rodovia Régis Bittencourt sentido Curitiba até o km 326, e entre a direita na cidade de Juquitiba. Siga a avenida em frente, atravesse o centro e siga as placas do pesqueiro. Saindo do centro de Juquitiba são 4 km de asfalto e mais 3km de estrada de terra, com placas do pesqueiro.

O Vale do Peixe fica a 45 minutos da marginal Pinheiros. É muito perto.

Logo que chegamos, arrumamos nossas coisas no chalé e bem no finalzinho da tarde ainda deu tempo de brincar um pouco com o Fly.

Usei um conjunto da Martin, Vara Caddis Creek – CC68C – GWF4 com carretilha e linha n.6. Como isca usei ração de cortiça e ração de EVA marrom.

Bastou cevar um pouco alí em frente ao chalé e os peixes começaram a subir.

Na sequência, outras tilápias foram fisgadas e por último um outro peixe que brigou e levou muita linha mas acabou cortando. Creio ser um belo tambacu ou pacu.

Assim que escureceu, o Sr. Adimir começou a preparar o churrasco ao lado do chalé, enquanto eu e o Felipe estávamos arrumando o resto das tralhas. Depois de muito comes e bebes e um bom bate papo, resolvemos voltar a pescar.

O Sr. Adimir insistiu na pesca de fundo com Massas Paturi Carnívora. Eu fiquei com a salsicha flutuando e o Felipe com as Cabeçudas usando as Massas Paturi de Banana, Amendoim e Frutas.

Eu estava com a Bóia Charutinho das Bóias Barão e o Felipe com a Bóia de Cabeçuda também das Bóias Barão.

O Lago 2 onde escolhemos para passar a noite está forrado de piraputangas e a pesca de superfície é uma covardia.

Estávamos com duas bóias para cabeçudas e demoramos para encontrar a altura que o peixe estava comendo. Tentamos de 60cm a 2mts, mas o peixe começou a atacar a 20cm de profundidade.

O Felipão engatou um bela carpa com a massa paturi de amendoim. No Vale do peixe tem muita carpa cabeçuda de até 30kg e alguns exemplares da carpa prateada de até 22kg.

A Prateada é igual a cabeçuda, mas é bem mais clara e tem a boca pequena.

Depois dese peixe, algumas outras piraputangas foram fisgadas e fomos dormir.

Acordamos bem cedo, e ainda no lago 2 comecei a cevar com a cevadeira das Bóias Barão com miçanga. Fisguei algumas piraputangas com a miçanga caramelo e vermelha.

Cansado de tantas piraputangas, resolvemos ir ao lago 1 tentar as carpas e as tilápias. Bastou começar a cevar e a festa com fly começou.

Segundo o proprietário muitas carpas capins grandes sobem na ceva, mas neste dis não tivémos sorte.

Na hora do almoço, com o sol rachando em nossas cabeças, resolvi dar uma volta pelo lago.

Caminhando pela lateral, reparei que uma enorme mancha estava bem abaixo da ponte, na sombra. Me aproximei e ví que era um bigodudo. Era um pintado e bem grande, ele estava embaixo da ponte a uns 80cm da margem.

Chamei o Felipe e o Sr. Adimir e cada uma veio com uma varinha, um com salsicha e outro com tilapinha viva. Armamos as duas varas na superfície bem na margem e nos afastamos.

O danado chegava perto das iscas, passava o bigode e ía pro outro lado, rodeava a tilapinha e ía pro outro lado. Ele começou a nadar bem devagar pela margem. Peguei a vara com a tilapinha e começei a segui-lo, sempre colocando a tilapinha em sua frente, mas ele desviava e ía embora. Até que acabou indo pro meio do lago e sumiu.

Estávamos voltando e quando passamos pela ponte vimo ele lá de novo, mas ao memso tempo ví outro um pouco do lado. Eles ficaram tentando e eu voltei para meu posto, mas no caminho avistei duas manchas gigantes a uns 3 mts da margem, chamei o Felipe e ele veio com a varinha. Foi o tepo de encostar a tilapianha na água e o pintado menor atacou sem dó. O outro assustou, rebojou e foi embora.

O Felipe brigou um bom tempo, rodou o lago e conseguimos tirar ese belo pintado da água.

Entre os dois lagos fica uma cobertura onde funciona o limpa peixe. Como estávamos próximo, resolvemos pesá-lo na balança indústrial que tem alí e o danado pesou exatos 25kg. Ele pode não ter tamanho para esse peso todo, mas reparem como ele é gordo do rabo até a cabeça.

Como esse pintado tinha 25kg, eu calculo que o outro que estava junto e que era bem maior tinha mais de 30kg.

No total, vimos mais de 6 pintados deste tamanho nadando pelo lago 1. Peixes que estão no lago há 17 anos segundo o Júnior, dono do pesqueiro. Peixes que nunca foram fisgados ainda estão no lago.

E foi isso pessoal, um lugar muito tranquilo, bem vazio, com muita paz e bons peixes pra alegrar. Vale a pena conhecer.

Gostaria de agradecer ao Junior e família pela atenção e recepção.

Fotos por Marcio, Daniela, Adimir e Felipe Texto por Marcio David

Abraços e boas fisgadas

Marcio David

AGRADECIMENTOS

Pesqueiro Vale do Peixe Estrada dos Brancos, 93 – Bairro Morro Grande – Juquitiba – SP 011 4682 1900 - 011 7268 2091 Acesso pelo km 326 da Rod. Régis Bittencourt – cap/int.

#valedopeixe #pesqueiro #pescaria

boias de pesca, boia cevadira, boia torpedo
Carretilhas de Pesca Penn
Contato Fishingtur

Parceiros

universo da pesca.png
ESTILO GOIANO.png

O maior portal de Pesca e Turismo do Brasil

Fishingtur Pesca e Turismo 2019