Últimas Reportagens

Rio São Benedito – MT/PA - Pousada Thaimaçu

31/08/2018

Local: Rio São Benedito – MT/PA
Pousada Thaimaçu

 

   Olá Amigos!

 

   Meu nome é Marcelo Senna e hoje vou relatar nossa última pescaria nas águas do rio São Benedito.

 

Estivemos pela terceira vez na Pousada Thaimaçu, no sul do Pará, e foi de impressionar. Pela variedade de peixes nos rios São Benedito e Azul, pelo tamanho, pelas ações o dia inteiro, enfim, uma pescaria que todo mundo quer fazer. Foram tucunarés, cachorras, bicudas, trairões, corvinas, jaús, jundiás, cacharas, barbados, pirararas, palmitos, pacus, tambaquis, além de jacundás, piaus, trairinhas e as velhas piranhas, é claro.

 

    Pescar muitos (e bons) exemplares, por si só, já vale a pena e transforma a viagem numa ótima pescaria. Mas a estrutura, a organização e a alimentação da pousada se mantiveram impecáveis, com uma boa novidade: a piscina, pra matar aquele calorão na volta para o almoço. Mas vamos à aventura. Para quem gosta de tucunarés, como eu e meu parceiro de barco (Pedro Branco), foi ótimo. Os cinco dias só não foram perfeitos porque os bocudos não estavam atacando no alto. Os botes nas iscas de superfície são sempre mais divertidos e emocionantes, mas a captura não foi grande neste aspecto: apenas cinco tucunarés de porte médio entraram. Teve, ainda, um belo ataque em falso de um trairão. O mais bonito de todos.

 

    Como o tempo de pescaria foi longo, conseguimos superar aqueles problemas da natureza que nunca estão na nossa programação: dois dos cinco dias foram prejudicados por mudanças de temperatura, chuvas e até um repiquete, que fez o Rio Azul subir, de um dia pro outro, cerca de 20 centímetros.

 

    Tivemos uma incrível quantidade de ações, mesmo nos dias de condições complicadas de tempo e com muita manha dos bocudos. Além disso, há um diferencial na região: a cor inigualável dos tucunarés-fogo, que é de encher os olhos. Os bichos também são dos mais bravos e garantem a emoção até o último segundo de luta. As iscas matadoras foram os spinners (um na cor verde limão e outro no branco) e os jigs (o rosa, principalmente), embora a curisco 90 (nas cores osso e/ou branca com cabeça vermelha) e a brava 90 (branca com cabeça vermelha) também tenham feito sucesso.

 

    A maior parte da nossa turma, que prefere peixes de couro, também pegou muito tucunaré na tuvira, já que os peixes, quase em sua totalidade, atacavam do fundo, vindo como um raio vermelho atrás das iscas. Nos cinco dias, nossa dupla ficou perto dos 100 bocudos. Isso mesmo. No caderninho que me acompanha nas pescarias, contabilizei 57 tucunas capturados por mim. O maior foi um de 4,8 quilos (na balança digital), mas foram dezenas de exemplares acima dos 3 quilos e meio. Os pequenos, de menos de um quilo, não chegaram a dez. No pouco que eu e meu parceiro pescamos sem iscas artificiais, quase sempre na rodadinha, ainda pegamos cacharas, trairões, cachorras, tambaquis… Ah, o peixe campeão foi um jaú entre 50kg e 60kg, mas que não saiu no nosso barco de tucuneiros.

 

 

Tralha para tucunarés:

-1) Vara Sumax Safira 17lb, carretilha Aldebaran BFS, linha mulifilamento 20lb, líder fluorcarbon 30lb.

-2) Vara by Jansen 25lb, carretilha Chronarch CI4, linha multifilamento 30lb, líder fluorcarbon 35lb.

 

Um abraço a todos!

Marcelo

 

AGRADECIMENTOS

Pousada Thaimaçu
Pará/Mato Grosso

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Busca...

Please reload

boias de pesca, boia cevadira, boia torpedo
Carretilhas de Pesca Penn
Contato Fishingtur

Parceiros

Varas Ultralight Luck Lure

O maior portal de Pesca e Turismo do Brasil

Fishingtur Pesca e Turismo 2019